Aulas de Aikido retornam a modelo presencial

Seguindo os protocolos sanitários e sem contato físico, a arte marcial voltou a fazer parte da rotina dos alunos, reforçando mensagens como disciplina e respeito

Após um ano de atividades exclusivamente virtuais, o treino de Aikido do LAR volta ao formato presencial. As atividades no espaço físico foram suspensas ainda em março de 2020, devido aos protocolos para conter a pandemia do novo coronavírus inviabilizando a prática, e agora voltam após uma transição gradual. No novo formato, os alunos devem seguir uma série de medidas, treinando sem aproximação e contato físico.

O Aikido é uma arte marcial nascida no Japão e destaca-se por ter sua base conceitual na não-violência, sendo que todo o seu treino se volta para técnicas de defesa e para o uso da energia de um possível agressor. Inaugurado em 2001 no LAR, sob a liderança do sensei Walmir Pistori, o projeto conquistou as crianças e sempre teve abertura aos adultos, com o objetivo de integrar famílias interessadas. Essas aulas chegaram a ter um hiato de alguns anos, mas retornaram em 2019 para a ONG.

Durante os últimos 14 meses, o cronograma presencial do projeto foi suspenso devido ao novo coronavírus, com exceção de um retorno de atividades presenciais entre os mesmo de outubro e fevereiro, período mais controlado da pandemia. No entanto, a crise sanitária global não interrompeu as práticas. Os treinos, que prosseguiram na plataforma online com o uso de chamadas de vídeo, consistiam principalmente em exercícios e movimentos essenciais do Aikido, como rolamentos, posturas e esquivas.

“Como toda atividade física que se torna virtual, há uma grande perda”, explica o sensei Walmir. “O Aikido, especificamente, depende do contato com o outro, de sentir e redirecionar a energia do outro. Mas adaptar-se ao novo formato foi essencial. Percebemos que muitas crianças se afastaram durante esse período, mas com o retorno já começam a se engajar novamente”, ressalta.

Com a retomada do formato presencial, os alunos e alunas do LAR voltam ao tatame e têm um treino mais completo. Prosseguindo com os exercícios e movimentos que antes eram treinados virtualmente, os pequenos passam a desfrutar do espaço adequado e podem praticar com maior sincronia e interação. As correções e indicações do sensei — outra parte essencial do aprendizado da arte marcial — tornam-se também mais precisas. Para além disso, a máscara deve ser usada o todo tempo, assim como a higienização com álcool em gel.

O sensei Walmir conta o impacto do treinamento de Aikido nas crianças e quais os frutos que esses jovens podem colher da arte. “Percebo a mudança de comportamento de todos antes e depois das nossas sessões em relação a disciplina, respeito, coordenação, atenção… A diferença comportamental é notável. Eles treinam não para lutar, mas para moldar uma postura, a forma de enxergar a vida e enfrentar os desafios. Isso tudo vem com a prática”, finaliza.

Para conhecer mais sobre o trabalho realizado no LAR, acesse o nosso site: www.bencaodivina.org.br

Caso queira contribuir com este trabalho na forma de doação, acesse: lar.colabore.org

O que nos move é promover a educação, a cultura e o esporte, rompendo barreiras sociais, construindo um futuro mais digno para todos.

O que nos move é promover a educação, a cultura e o esporte, rompendo barreiras sociais, construindo um futuro mais digno para todos.