LAR orienta as famílias sobre o retorno às atividades presenciais

Definição deve ser feita de maneira consciente e responsável, considerando as condições da família e o bem-estar das crianças; mãe de alunos dá seu depoimento

Com o início do ano letivo e a retomada das aulas nas escolas e em instituições como o LAR, muitos pais estão em dúvida em relação a enviar os filhos para o ensino presencial ou mantê-los em casa no sistema remoto. Como a pandemia ainda está em alta, mesmo o modelo híbrido, que combina propostas presenciais e a distância, pode gerar receios.

Para apoiar as famílias e ajudá-las a decidir de forma segura, consciente e responsável sobre o retorno, o LAR preparou algumas orientações. Confira alguns aspectos que devem ser levados em conta e também o depoimento de uma mãe de alunos do LAR, que já tomou essa decisão.

Saúde mental

É importante perceber como as crianças sentiram e ainda estão sentindo os impactos do isolamento social e da falta de contato presencial com os colegas e professores. Pode haver sinais de sofrimento emocional, como falta de disposição, isolamento, desânimo e alterações no sono e na alimentação. Nesses casos, o retorno pode ser um importante motivador.

Organização da rotina e acesso à tecnologia

Outro fator relevante é como elas estão conseguindo se organizar para acompanhar as aulas a distância, fazer as atividades e dar sequência aos estudos — por exemplo, se têm um local adequado para isso e acesso à internet e a dispositivos.

Aprendizado

Além da organização e das condições materiais, aprender longe da sala de aula e dos professores também requer certa autonomia e disciplina, o que pode ser difícil para as crianças, principalmente as mais novas. É preciso avaliar como elas estão se adaptando ao ensino remoto e se a aprendizagem não está sendo prejudicada.

Clique aqui para colaborar com o nosso trabalho!

Trabalho dos pais

Como está sendo o trabalho dos pais — em home office ou presencialmente — e, no caso de precisarem sair para trabalhar, se a criança tem com quem ficar em casa, é outro aspecto fundamental. Mesmo aqueles que podem realizar suas atividades profissionais em casa, precisam observar se conseguem ajudar as crianças nas propostas das aulas ou conciliar o uso de celulares ou computadores com elas.

Comorbidades e grupos de risco

Para alunos que têm problemas de saúde, como doenças respiratórias severas, formas graves de asma e cardiopatias, a indicação é não retornar neste momento. O mesmo ocorre se moram com avós ou outros parentes idosos ou, ainda, com pessoas de grupos de risco — que têm obesidade, diabetes e doenças renais, por exemplo.

“Seriedade e empenho da equipe do LAR me deixaram segura para a volta das atividades presenciais”

Eu tenho três filhos no LAR — a mais velha frequentou a instituição por uns dez anos, e os dois menores ainda frequentam — e me sinto bem confortável com o retorno deles para as atividades presenciais. Vejo que a equipe é muito cuidadosa e preocupada em seguir todos os protocolos de saúde, como uso de máscara, distanciamento social e divisão dos grupos, para que os alunos tenham uma volta segura.

Durante a quarentena, eles acompanharam bem as aulas online, mas nada se compara ao presencial. Eles ficaram muito animados com a volta, principalmente o Vinícius, que sentiu bastante a falta dos colegas e dos professores.

Sou muito grata ao LAR por toda a contribuição para a educação e a formação dos meus filhos. E por possibilitar que eu trabalhasse tranquila, sabendo que eles estavam com pessoas cuidadosas e qualificadas. E agora fico muito feliz com a retomada das atividades, pois sei que tudo está sendo feito com a responsabilidade, a seriedade e o empenho de sempre.

*Roseane Aparecida de Souza, mãe da Mariana, da Isabela e do Vinícius; alunos do LAR.

Para conhecer mais sobre o trabalho realizado no LAR, acesse o nosso site: www.bencaodivina.org.br

Caso queira contribuir com este trabalho na forma de doação, acesse: lar.colabore.org

O que nos move é promover a educação, a cultura e o esporte, rompendo barreiras sociais, construindo um futuro mais digno para todos.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store